FORMAÇÃO TÉCNICA

Conae entrega ao MEC proposta de Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos técnicos em Radiologia

Larissa Lins, Naum Carlos e Romário Costa
30/10/2018
FORMAÇÃO TÉCNICA


O Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia (CONTER) se reuniu com a Secretaria de Educação Profissional de Tecnologia do Ministério da Educação (Setec/MEC) para realizar a entrega da proposta de Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos técnicos em Radiologia.

Leia a proposta de DCN dos cursos técnicos em Radiologia, clique aqui

As diretrizes foram elaboradas pela Coordenação Nacional de Educação (Conae) do CONTER para suprir a necessidade de estruturar melhor o ensino técnico e o exercício das práticas radiológicas. O documento traça com precisão o perfil dos técnicos em Radiologia e explica detalhadamente todas as competências que devem ser abordadas pelas instituições de ensino. O texto também reforça a importância do estágio curricular e fala dos fundamentos da prática profissional do educando e do educador.

Presente à reunião, o diretor-secretário do CONTER Adriano Célio Dias pediu o empenho do Setec na tramitação e aprovação da proposta. "Reunimos os melhores especialistas do país para elaborar esse trabalho e contamos com a colaboração de gente que conhece a realidade, profissionais e estudantes de todo o país. Chegamos a um documento que atende os requisitos do mercado de trabalho e dá um salto de qualidade na formação técnica", considera.

Em ação similar, o CONTER já havia entregado a proposta de Diretrizes Curriculares Nacionais para os superiores de nível superior. A ideia é avançar com a tramitação das propostas no Conselho Nacional de Educação (CNE) para conseguir implantá-las gradualmente no futuro próximo, sem afetar os cursos que já estão em andamento. Antes de serem protocolados, os documentos foram colocados para discussão da comunidade acadêmica e de representantes da categoria de todo o país.

Como presidente da Conae, a conselheira federal Silvia Karina afirma que a iniciativa demonstra que o CONTER atua não apenas na hora de cobrar da categoria, mas também para contribuir em prol da comunidade radiológica. “As novas diretrizes buscam atualizar as que já existem, além de padronizar o ensino técnico, ao mesmo tempo em que abre espaço para as peculiaridades de cada região”, explica Silvia, que também ressalta o pioneirismo da ação. “É a primeira vez que se propõe diretrizes curriculares específicas para um curso técnico”, afirma.

O professor Paulo Wollinger, membro da CONAE, participou da reunião de entrega do documento ao MEC. Ele acredita que não é possível falar da qualidade do exercício de uma profissão sem lembrar da formação dos trabalhadores. “Muitos cursos oferecem um ensino insuficiente para os estudantes, mas baseado em que poderíamos contestar isso? O documento entregue ao MEC vem para virar essa referência”, esclarece. “A construção das diretrizes curriculares não é uma obrigação do CONTER, mas entendemos que a proposição é uma oportunidade de aperfeiçoarmos o exercício e o ensino da Radiologia no Brasil”, complementa. 

O presidente do CONTER Manoel Benedito Viana Santos considera que o compromisso do órgão com a qualidade do exercício da profissão também passa pelo banco escolar, etapa fundamental na vida profissional do técnico e do tecnólogo em Radiologia. “Até a consolidação das diretrizes, houve muito trabalho, mas o esforço se materializou em um documento consistente e que atende às necessidades reais da comunidade escolar. Estamos satisfeitos com o resultado”, assegura. 

O processo de construção das orientações foi participativo e contou com a colaboração de especialistas em educação do país inteiro. O texto final foi organizado pelos professores Francisco Aparecido Cordão, Guilherme Oberto Rodrigues, João R.  Alves dos Santos, Michele Torquato, Paulo Roberto Wollinger e Ricardo Andreucci, além dos conselheiros e das conselheiras federais Silvia Karina Lopes da Silva, Lúcia Helena Solha e Sandoval Kehrle.