ÉTICA

Desabafo de um jaleco mal utilizado

Jônathas Oliveira/Assim CONTER
31/01/2017
ÉTICA

Olá, pessoal. Tudo bem?

Como nós somos amigos íntimos, quero que você reflita sobre as palavras que direi a seguir. Assim fica mais fácil explicar a minha importância para os estudantes e futuros profissionais da Radiologia, não é mesmo?

Há quem considere eu, o jaleco, o principal Equipamento de Proteção Individual (EPI) para os profissionais da área de saúde. Fico feliz com a importância que me foi dada e estou disponível para protegê-lo (a) de qualquer contaminação ou acidente que venha a ocorrer no seu ambiente de trabalho.

Entretanto, não posso deixar de citar que fico triste quando me deixam de lado ou me usam nas ruas, longe de onde me sinto em casa. Na primeira situação, eu deixo de cumprir meu serviço de te proteger. Na segunda, pior: posso colocar você e todas as pessoas em risco! Afinal de contas, nós passamos a transportar micro-organismos e bactérias para outros ambientes.

Esses cuidados que lhes falo não é achismo, mas sim embasamento científico! Quem é técnico ou tecnólogo em Radiologia sabe bem sobre a Norma Regulamentadora 32 do Ministério do Trabalho. Ela dispõe sobre “segurança e saúde no trabalho em serviços de saúde” e tem um trecho que explica bem o meu desabafo.

32.2.4.6.2 Os trabalhadores não devem deixar o local de trabalho com os equipamentos de proteção individual e as vestimentas utilizadas em suas atividades laborais.

Também nem preciso comentar sobre a Portaria ANVISA nº 453/98. Ela deixa claro que o meu cuidado com você e o seu cuidado com o paciente deve vir em primeiro lugar! Se tivermos isso em mente, com um atendimento humanizado e respeitando os procedimentos de segurança, teremos um atendimento ideal. E tenho certeza que, se precisar, você gostaria de ser atendido por um profissional tão atencioso como você, não é?

Por isso, meus amigos e amigas, me usem com orgulho, mas apenas onde posso ajudar! Vamos higienizar as mãos sempre que possível e atender com a qualidade que só vocês têm. Desculpe pelo “textão”, mas é a nossa ética e reputação que estão em jogo.

Saudações radiológicas!