CONTROLE FINANCEIRO

CONTER contrata auditoria independente para analisar gestão financeira

Ascom CONTER
16/07/2019
CONTROLE FINANCEIRO

O Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia (CONTER) tomou mais uma medida de controle e transparência sobre a utilização dos recursos financeiros da autarquia. Desta vez, o órgão contratou os serviços da empresa de auditoria Indep, Auditores Independentes S/S para analisar diversos aspectos de gestão do órgão, referente ao ano de 2018. O objetivo da medida é, por meio da inspeção de natureza contábil, financeira, orçamentária e patrimonial, avaliar se as atividades estão observando os requisitos legais e as orientações emanadas dos órgãos de controle, como o Tribunal de Contas da União (TCU).

Assim, durante esta semana, os contadores e auditores da Indep Sérgio Paulo da Silva e Melquisedeque Diniz estarão na sede do Conselho averiguando a documentação que registra os procedimentos administrativos do órgão, que abrangem licitações, contratos e controle de pagamento de colaboradores, entre outros. Ao fim dos trabalhos, eles consolidarão um relatório que será levado a conhecimento do 7° Corpo de Conselheiros junto com a prestação de contas anual do órgão. Reunidos em plenária, os conselheiros federais são responsáveis por aprovar as contas ou não.

“O processo de auditoria externa é um meio eficiente de gestão de gastos de recursos públicos e de inspeção da nossa atividade. É dever do CONTER, como instituição pública, a execução desse procedimento para, no fim, darmos satisfação aos nossos profissionais de como está sendo utilizado os recursos da anuidade”, afirma o presidente do CONTER, Manoel Benedito Viana Santos.

Com o mesmo objetivo, o Conselho Nacional dispõe de outras ferramentas de monitoração, como a Comissão de Tomada de Contas (CTC), que trimestralmente se reúne para averiguar os processos econômicos, além do Portal da Transparência, no qual disponibiliza informações de despesas com serviços e remuneração, entre outros dados.

Manoel Benedito explica o Conselho Nacional é submetido ao monitoramento das instituições de controle do governo. O presidente cita que, em 2018, o Ministério Público Federal (MPF) atestou que o CONTER cumpre com os requisitos de transparência e divulga corretamente os dados à população. “Nos deixa satisfeitos o reconhecimento de que estamos trabalhando corretamente. É o que se espera de uma instituição pública. É legitima toda ferramenta de vigilância de gastos, mas acreditamos que a população é a principal fiscal dos atos da administração federal”, finaliza.